Síndrome de Burnout, entenda melhor esse transtorno

Síndrome de Burnout, entenda melhor esse transtorno

Síndrome de Burnout, entenda melhor esse transtorno

A Síndrome de Burnout foi reconhecida pela primeira vez em 2019, como um diagnóstico médico oficial.

A 11ª edição do CID- Classificação Internacional de Doenças da OMS, que categoriza doenças para diagnóstico por profissionais de saúde, incluiu em 2019 a Síndrome de Burnout.

O novo diagnóstico é definido como uma “síndrome conceituada como resultante do estresse crônico no local de trabalho que não foi administrado com sucesso”. É caracterizado por três dimensões:

  1. sensação de esgotamento ou exaustão de energia;
  2. aumento da distância mental do trabalho ou sentimentos de negativismo ou cinismo relacionados ao trabalho; e
  3. redução da eficácia profissional.

Burnout se refere especificamente a fenômenos no contexto ocupacional e não deve ser aplicado para descrever experiências em outras áreas da vida.

A exclusão desse diagnóstico inclui transtorno de ajustamento, transtornos especificamente associados ao estresse, como TEPT (Transtorno de Estresse Pós-traumático), transtornos relacionados ao medo e transtornos do humor (ansiedade e depressão).

O esgotamento pode fazer você se sentir exausto, distante e ineficiente e às vezes é referido como fadiga da compaixão, especialmente entre os profissionais de saúde que frequentemente se deparam com situações difíceis no trabalho.

Também pode ser causado por estressores de trabalho mais típicos, como baixa remuneração, baixo poder de decisão, demandas conflitantes ou expectativas de desempenho pouco claras, prazos irreais, falta de autonomia, falta de apoio social, poucas oportunidades de promoção e simplesmente tédio.

O American Institute of Stress recomenda identificar e enfrentar os estressores sempre que possível.

Dicas

Aqui vão algumas dicas:

  • Comece conversando com seu supervisor. A saúde do funcionário foi associada à produtividade no trabalho, portanto, seu empregador tem um incentivo para criar um ambiente de trabalho que promova o bem-estar do funcionário.
  • Pratique o gerenciamento proativo do estresse, como fazer pausas curtas e frequentes para relaxar e se recarregar, e fazer exercícios úteis, como respiração profunda, pode ajudar.
  • Desenvolva resiliência aos estressores usando técnicas como meditação e atenção plena (um estado no qual você observa ativamente as experiências e os pensamentos atuais sem julgá-los), ioga, tai chi ou simplesmente caminhadas.
  • Uma das principais causas de esgotamento que deve ser tratada é o ciclo ininterrupto de contato de 24 horas. Os funcionários devem estabelecer limites de vida profissional quando não estiverem disponíveis e aprender como evitar verificar seus telefones ou e-mail após o expediente.

Se todas essas estratégias falharem, procure ajuda profissional ou perceba que é hora de atualizar seu currículo e seguir em frente e, se precisar estamos à disposição para ajudar você!

Leave a Reply

© Dra. Luciana Mancini Bari 2021 - Todos os direitos reservados.